domingo, 30 de janeiro de 2011

Aprendendo Dothraki: Parte 2

Na lição anterior sobre a língua Dothraki, falamos sobre gramática básica e formação de frases. Agora, vamos colocar seu conhecimento em prática.

Embora não seja aconselhável viajar no Havazh (Mar Dothraki) sem escolta, se você faz isso, é bem provável que encontre uma fonakasar (caçada) Dothraki. Em tal situação, não deve-se entrar em pânico: Os Dothraki desprezam o medo. Desde que não seja morto no local, pode ter a sorte de ser cumprimentado pelo idrik (o líder da caça), da forma que se segue:

Achrakh yeroon zireyesee hrazef anni, zhey ifak!
"Seu fedor ofende meu cavalo, estrangeiro!"

Responder da maneira certa é crucial. Deve-se ser respeitoso, mas firme. Ofenda um lajak (guerreiro) Dothraki, e é provável que ele responda com seu arakh; curve-se como fraco ou submisso, porém, e provavelmente será tomado como um escravo. Uma possível resposta seria:

Athchomar chomakea, zhey lajaki vezhveni. Anha goshok mehrazef shafki athiroe; me haja lekhaan k'athtihari.
"Respeito-vos, grandes guerreiros. Tenho certeza que o seu cavalo vai sobreviver; ele parece forte o suficiente."

Se a sua cabeça ainda estiver unida aos ombros, neste ponto, seria melhor oferecer ao idrik, no mínimo, um presente (qualquer coisa, menos sua espada, a menos que tenha alguma reserva à mão):

Fichi jin hlak kherikhi. Mori nroji ma nizhi. Me azho anni shafkea.
"Levem estas luvas de couro. Elas são grossas e resistentes. É meu presente para você".

E se isto correr bem:

Hash anha laz adothrak shafki, hash ashilok khal shafki.
"Caso eu ande ao seu lado, então eu deveria conhecer seu khal".

Delicadezas como "posso" e "por favor" são estranhas aos Dothraki: Apenas exigências respeitosas são atendidas.

Neste ponto, o idrak (assim se espera) será o caminho para o resto do khalasar. Se isso será um golpe de sorte ou azar, veremos!

Um comentário:

temis disse...

Estou fora,ja me da muito trabalho,aprender a falar Portugues corretamente sem girias.